quarta-feira, 16 de março de 2011

Fragor

Fincado com força estava o contorno de tudo

Como faca enfiada na carne – até o osso

(e agora a lembrança daquele vestido branco ensangüentado)

E também como a mulher que ama a trespassar-se nos lençóis de seu homem:

A Palavra

- Com traços marcados e reforçados de uma acompanhante vivida

Voluptuosa ao deleitar-se nos prazeres dos sentidos

Tragando com garbo a memória e o intento

Soltando a fumaça do bom senso (ou senso) -

A Vaidade

- Com sua pressa em cessar

Nestes tempos em que a fúria é por romper

E também rompante de outro-ser

Ou não-ser – tanto faz a essas horas esgotadas

(o tempo ganhou asas nestes vaidosos dias) –

Matou a palavra:

- Restam os ruídos.

Um comentário:

  1. Nesses tempos em que a fúria é por romper e abrir o portal, risos.

    ResponderExcluir